Você está aqui: Página Inicial > Notícias > OBT participa de consórcio internacional no Projeto BONDS

Notícias

OBT participa de consórcio internacional no Projeto BONDS

A pesquisadora do IRD (Institut National de Recherche en Sciences et Technologies Pour L'environnement Et L'agriculture), Marie-Paule Bonnet, coordenadora do projeto - BONDS Balancing biodiversity conservation and development in the Amazon wetlands (Belmont Forum-BIODIVERSA) esteve no INPE nos dias ...
publicado: 18/02/2019 11h36 última modificação: 18/02/2019 11h36

A pesquisadora do IRD (Institut National de Recherche en Sciences et Technologies Pour L'environnement Et L'agriculture), Marie-Paule Bonnet, coordenadora do projeto BONDS - Balancing biodiversity conservation and development in the Amazon wetlands (Belmont Forum - BIODIVERSA) esteve no INPE nos dias 14 e 15 de Fevereiro para discutir os termos de colaboração do projeto - parcialmente financiado pela FAPESP e por agências europeias e americanas. Desse consórcio, participam pesquisadores da OBT/INPE, além de pesquisadores de instituições parceiras do Brasil (Universidade de Brasília - UnB), Colômbia (Universidad Nacional de Colombia - UNC), França (IRD e Le Centre de Cooperation Internationale en Recherche Agronomique pour le Développement - CIRAD), Noruega (Faculty of Environmental Sciences and Natural Resource Managament - NULS), Inglaterra (University of East Anglia - EAU), Alemanha (Friedrich-Schiller - University Jena - FSUJ), Suíça (University of Lausanne) e Estados Unidos (University of California - UCLA e Virginia Polytechnic Institute and State University - VPU).

O objetivo geral do projeto é o de integrar dados adquiridos em diferentes escalas (do DNA à imagem de satélites) e providas por atores sociais de diferentes níveis da hierarquia social (do ribeirinho ao gestor ambiental) para desenvolver cenários de conservação da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos das extensas várzeas da Amazônia. Esse projeto se apoia no amplo histórico de pesquisas realizadas na Amazônia pelas equipes da OBT/INPE e dos outros parceiros. E ao final de três anos disponibilizará uma base de dados e produtos que poderão ser usados para a definição de politicas públicas para a preservação a biodiversidade das várzeas como também para pesquisas futuras.