Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Plataforma desenvolvida no INPE para projetos de monitoramento ambiental é utilizada pelo CEMADEN para criar sistema de monitoramento de risco de incêndios na Amazônia

Notícias

Plataforma desenvolvida no INPE para projetos de monitoramento ambiental é utilizada pelo CEMADEN para criar sistema de monitoramento de risco de incêndios na Amazônia

A plataforma TerraMA2 é utilizada para estudos voltados para a criação de um sistema de monitoramento de focos de queimadas na Amazônia, desenvolvidos pela pesquisadora Liana Oighenstein Anderson e pelo pesquisador João Bosco Coura dos Reis – ambos do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Esse sistema ajudará ...
publicado: 10/04/2019 11h28 última modificação: 10/04/2019 11h28

A plataforma TerraMA2 é utilizada para estudos voltados para a criação de um sistema de monitoramento de focos de queimadas na Amazônia, desenvolvidos pela pesquisadora Liana Oighenstein Anderson e pelo pesquisador João Bosco Coura dos Reis – ambos do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Esse sistema ajudará instituições locais a planejarem e trabalharem com o risco, monitoramento e ações de resposta associados aos incêndios florestais no Estado do Acre.  Veja matéria completa aqui.

A plataforma TerraMA2 do INPE está entre as geotecnologias desenvolvidas pela Divisão de Processamento de Imagens  - DPI que pode ser obtida gratuitamente, assim como seu código de fonte livre, para que qualquer usuário possa construir sistemas de monitoramento ambiental que integram dados em tempo real, tais como, estações meteorológica, radares, satélites, modelos de previsão, descargas elétricas, ocorrências de epidemias, etc.  Os dados geográficos da área de interesse do usuário, tais como, limites municipais, bacias hidrográficas, linhas de alta tensão, áreas de risco, etc..., podem ser cruzados com os dados dinâmicos através de modelos escritos em linguagem Python. Toda a administração, configuração e “scripts” dos modelos de análises são realizados em uma interface web, assim como a visualização dos mapas, tabelas e gráficos em outra interface webmap.

TerraMA2

A figura acima mostra a interface web do módulo de monitoramento da plataforma TerraMA2 utilizada em um sistema desenvolvido em parceria com Acre onde integra dados de estimativa de chuva por satélite e modelos de previsão do CPTEC-INPE, assim como dados das estações fluviométricas da ANA.